Pedra nos rins? O que fazer?

São diversos os tratamentos utilizados para problemas de pedra nos rins.

O tratamento dos cálculos renais pode ser realizado por abordagem cirúrgica convencionalmente realizada, dependente da localização, tamanho e tipo do calculo:

 

> Litotripsia extracorpórea por ondas de choque

Nesse procedimento, não há cortes ou incisões. O paciente recebe ondas de choque que se difundem pelo corpo e concentram sobre o cálculo renal, normalmente fragmentando-o.

Atenção: Muitos médicos não alertam seus pacientes quanto aos riscos deste procedimento. É importante dizer que o efeito mecânico direto das ondas de choque de fragmentação sobre o rim e o pâncreas pode ocasionar diabetes e hipertensão arterial (Journal of Urology, 2006)

 

> Cirurgia percutânea

Nessa cirurgia são realizadas pequenas perfurações na região lombar para acessar o cálculo no interior dos rins. Por meio desses pequenos orifícios realizam-se a fragmentação e remoção da pedra.

 

> Ureterolitotripsia endoscópica

Nesse procedimento utiliza-se um aparelho endoscópico , com uma câmera que permite visualizar o interior da bexiga e do ureter. Esse aparelho é introduzido pelo canal da urina (uretra). Assim, não há necessidade de cortes ou incisões. Por meio desse aparelho remove-se os cálculos do interior do ureter.

 

> Cirurgia convencional

Em alguns casos especiais há necessidade de se realizar cirurgia tradicional com incisão da parede abdominal para remoção dos cálculos diretamente pelo cirurgião.

 Mas, atualmente o estudo de pesquisadores, cientistas e especialistas apontam para tratamentos a partir de técnicas alternativas e produtos naturais.

A alta tecnologia aplicada em suplementos alimentares, nos mostra que já é possível tratar problemas de formação de pedra nos rins sem a necessidade de intervenção médica.

A evolução no campo das ciências tem ocorrido em um ritmo tão acelerado, que tratamentos ainda considerados modernos pelos doutores brasileiros, já estão em desuso em outros países devido aos efeitos colaterais que podem ocasionar.

 

Mas como se formam Pedras nos Rins?

 

Sabe-se que o homem expele pela urina grandes quantidades de sais de cálcio, ácido úrico, oxalatos. Em algumas condições a urina fica saturada desses cristais e como consequência formam-se pedras nos rins.

 Estas pedras começam bem pequenas e vão crescendo. O desenvolvimento, o formato e a velocidade de crescimento destas estruturas dependem da concentração das diferentes substâncias químicas presentes na urina.

A pedra nos rins pode conter varias combinações de elementos químicos. O tipo mais comum de pedra no rim contém cálcio em combinação com oxalato ou fosfato (que estão presentes em uma dieta normal e fazem parte dos ossos e músculos). Esses cálculos representam 80% de todos os cálculos renais.

 Um tipo menos comum de pedra nos rins é causada pela infecção urinária. Esse tipo de cálculo renal é chamado estruvita ou cálculo infeccioso. Eles podem ser de grande tamanho e obstruir a via urinária, podendo levar a grandes danos renais.

 

Ainda menos comuns são os cálculos de ácido úrico, que estão associados com a gota ou quimioterapia, compreendendo menos de 5% dos cálculos renais, e outros mais raros.

 

O que se sente e como se faz o diagnóstico de pedra nos rins?

 

Pode ser assintomática, reconhecida somente em exames ocasionais. Na maioria das vezes, se apresenta com manifestação de dor (cólica) e sangue na urina. Muitas vezes, os cálculos renais podem obstruir a via urinária. A cólica renal é o sintoma agudo de dor severa, que pode requerer tratamento com analgésicos potentes.

Geralmente, a cólica está associada a náuseas, vômitos, agitação. A cólica inicia quase sempre na região lombar, irradiando-se para a fossa ilíaca, testículos e vagina. A investigação clínica, na fase aguda, inclui além do exame comum de urina, um Raio X simples de abdômen e uma ecografia abdominal.

 

Fatores que podem aumentar o risco de se desenvolver pedra nos rins:

 

- Problemas no processo de absorção ou eliminação dos produtos que podem formar cristais (disfunção metabólica);

- Casos de cálculos urológicos na família (condição genética);

- O hábito de consumir uma pequena quantidade de líquidos;

- Desordens alimentares;

- Doenças intestinais;

- Gota.

 Mas sem dúvida o que realmente ocasiona a formação de pedra nos rins é normalmente uma disfunção metabólica do organismo.

A doença é duas vezes mais comum em homens e seu pico de incidência ocorre entre os 20 e 40 anos de idade.

 

 

Qual tratamento natural pode ser usado?

 

Um produto que tem se popularizado por dissolver as pedras nos rins de forma realmente eficaz e indolor trata-se de um suplemento composto por uma combinação de fosfatos, denominado NQI.

Com uma combinação de fosfatos, é um suplemento de ação antioxidante e solubilizante, muito utilizado para melhorar a memória, a concentração, regular a pressão arterial, evitar o envelhecimento precoce, etc. Porém, apesar do suplemento possuir outras finalidades e não ser vendido ou anunciado por seu fabricante como um produto específico para dissolver cálculos renais, o fato é que realmente dissolve as pedras nos rins de forma eficaz e natural, sem causar os transtornos relacionados a outros tipos de tratamento.

 Pelas informações do fabricante do NQI, o produto é apenas um suplemento alimentar. Mas o que pode-se observar, é que apesar do produto ser um composto natural, classificado como suplemento alimentar, sua eficácia para impedir a formação de pedra nos rins e dissolver as pedras já existentes pode ser facilmente observada. 

O NQI é um suplemento em cápsulas.

A combinação de fosfatos presentes em sua formulação elimina os efeitos lesivos causados pelos sais insolúveis e pelos minerais depositados decorrentes da ligação óxido + água = ácido, pela solubilização do precipitado.

O NQI elimina o depósito de sais minerais nos rins e em qualquer outra parte do aparelho urinário, neutralizando a formação do cálculo renal ou pedras nos rins.

 Especialistas defendem o uso do NQI sendo a melhor forma de normalizar disfunções metabólicas, as quais ocasionam diversos problemas de saúde.

 Para médicos especialistas em Nefrologia, os acompanhamentos clínicos realizados tiveram resultados surpreendentes, sendo que em mais de 90% dos casos acompanhados os cálculos foram totalmente dissolvidos. "Além de impedir a formação de pedra nos rins, nos casos em que a pessoa já está com cálculos renais formados, o NQI tem se mostrado altamente eficaz na dissolução das pedras, eliminando definitivamente o problema sem nenhuma intervenção cirúrgica.

 

Pra finalizar:

 Uma simples e importante mudança para prevenir a formação de pedra nos rins é o aumento da ingestão de líquidos, preferencialmente água, no mínimo 2 litros por dia.

 

Veja também:

Retirando as pedrinhas do rim

 

> Ver mais Saúde

 

Compartilhar

 

 

 

 

 

Flag Counter