Aprendi a orar com as formigas

   

 

Outro dia, vi uma formiga que carregava uma enorme folha com sacrifício.

Foram muitos os tropeços mas nem por isso a formiga desanimou de sua tarefa.

Até que chegou próximo de um buraco que devia ser a sua casa.

A folha era muito maior do que a boca do buraco, então, ela entrou sozinha.

Pensei: “Coitada, tanto sacrifício para nada”.

Mas, de repente, do buraco saíram outras formigas, que começaram a cortar a folha em pequenos pedaços.

Em pouco tempo, a grande folha deu lugar a pequenos pedaços e eles estavam todos dentro do buraco.

 

Imediatamente pensei nas minhas experiências.

Quantas vezes desanimei diante das dificuldades?

Talvez se a formiga tivesse olhado para o tamanho da folha, nem teria começado a carregá-la.

 

Naturalmente, transformei minha reflexão em oração e pedi ao Senhor:

Que me desse a tenacidade daquela formiga, para “carregar” as dificuldades do dia-a-dia.

Que me desse a perseverança da formiga, para não desanimar diante das quedas.

Que eu pudesse ter a inteligência dela, para dividir (em pedaços) o fardo que, às vezes, se apresenta grande demais.

Que eu tivesse a humildade para partilhar com os outros o êxito da chegada, mesmo que o trajeto tivesse sido solitário.

Pedi ao Senhor a graça de, como aquela formiga, não desistir da caminhada, mesmo quando, pelo tamanho da carga, não consigo ver com nitidez o caminho a percorrer.

E agradeci ao Senhor por ter colocado aquela formiga em meu caminho e pelo ensinamento da perseverança.

 

Veja também:

Caminhos

O Senhor é meu pastor e nada me faltará!

 

> Ver mais Mensagens

 

Compartilhar

 

 

 

Flag Counter